miguel palma

miguel palma

obras

Volta ao mundo, 2017
Fibras compostas, tecido, espuma, metais, alumínio, ventoinha, motor, cabo elétrico.
182 x 167 x 70 cm

Projecto Sementeira, 2006
Dispostivo agrícola, metal, plástico, baterias, sistemas elétricos e eletrónicos, caixa de madeira com luvas, outros materiais
200 x 380 x 150 cm

Compressão, 2009
Globo terrestre insuflável e tripé.
90 x 40 x 40 cm

Shell (Garage Kit) #1, 2015
Madeira, borracha, sistemas elétricos e eletrónicos, miniatura de garagem da década de 1960, alumínio.
160 x 46 x 48 cm

Alvo (Target), 2019
Brocas manuais, MDF e tinta acrílica.
185 x 120 x 42 cm

Série Aviões #9, 2007
Acrílico e colagem sobre papel
74 x 60 cm

Série 100 Drawings, Not 100 Percent Sure, 2012
Colagem e acrílico sobre papel
56 x 76 cm

Mapas, 2007
Colagem e acrílico sobre papel
70 x 100 cm

S/ Título #2 (Waste), 2018
Grafite e colagem sobre papel
56 x 76 cm 

bio

Miguel Palma (Portugal, 1964)

Miguel Palma é um artista que se apropria das narrativas de uma modernidade em permanente consulta para melhor refletir sobre o presente, é claramente fascinado por ícones da modernidade clássica: o mundo da aviação, o automóvel, a arquitetura, a natureza (mais ou menos domesticada) e a tecnologia em geral.

Também é possível constatar uma visão por trás da sua prática artística que, em muitos aspetos, é muito semelhante à do colecionador. Produz peças e inventa máquinas raras, restaurando objetos antigos de modo a transformar estes artefactos em objetos de colecionador. No seu trabalho, o ato de criação e o da apropriação são inseparáveis e as linhas que tão claramente se desvinculam destes dois processos são difusas. A criatividade de Palma desenrola-se numa pulsão construtiva que convoca e problematiza conceitos como o progresso, a degeneração, a velocidade e o fracasso, mas também apresenta uma preocupação com a natureza e a ecologia. Simultaneamente, estas imagens sobrepõem-se a um tema significativo que sobrepõe ao seu trabalho: o humor. Esta é a ferramenta que permite a Palma abordar em motivos tão importantes com aparente leveza e ironia, especialmente presentes nos seus desenhos. Com uma carreira de mais de três décadas, as suas obras cobrem diferentes meios de comunicação, como escultura, vídeo, instalação, desenho e performance. Está representado em muitas coleções públicas e privadas, nacionais e internacionais, como a Fundação de Serralves (PT), Coleção Berardo (PT), Fundação Calouste Gulbenkian (PT), Museu Nacional de Arte Contemporânea (PT) Centro Pompidou (FR), FRAC – Limousin (FR), FRAC – Centre (FR), IAC – Institut d’Art Contemporain (FR), CCC – Centre de Création Contemporaine (FR), CGAC – Centro Galgo de Arte Contemporânea Contemporneo (FR), CCC – Centre de Création Contemporaine (FR), CGAC – Centro Galego de Arte Contemporânea (ES) Colección ARCO (ES), MUDAM – Musée D’Art Moderne Grand-Duc Jean (LU), ASU Art Museum – Arizona State University Museum (EUA), Phoenix Art Museum (EUA), entre outros.

 

error: Content is protected!

Thank you

You have been added to our mailing list.
 

Envie uma questão

This site uses cookies to improve user experience. By clicking “Accept”  you consent to our use of cookies. Click “Learn more” for information on how we use cookies and for our privacy policy.